Número total de visualizações de página

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Violência


Eu lembro-me de tudo
De tudo que me fizeram
Ia para a escola mudo
Fazia-me de invisível
Com o carapuço na cabeça
Esperava que não olhassem
Andava com os olhos no chão
De um jeito curvado, envergonhado

Escondia os braços de todos
Escondia as lágrimas de todos
Alguma vez se perguntaram
Quanto é que eu aguentava
A humilhação, a dor
As marcas no corpo
Todo o dia esperava
A hora de ir para casa

Ao fim deste tempo todo
Ainda me lembro da infância
A infância nunca vivida
A adolescência corrompida

Passou tudo tão rápido
Eu não posso mudar o passado
Por favor perdoem-me
Eu não vos posso perdoar

Eu sempre me vou lembrar
De tudo que me fizeram

Daniel Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário